Maternidade Maria Amélia do Rio completa quatro anos com 18 mil partos realizados

 

 

O Hospital Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda (HMMABH) completa quatro anos nesta sexta-feira (13) e chega a mais de 18 mil partos realizados na unidade. Só no ano passado, 5.400 crianças chegaram ao mundo na maternidade – 704 a mais do que em 2013.

 

Criada para ser uma unidade de referência em parto humanizado, a maternidade disponibiliza uma série de métodos não farmacológicos para alívio da dor durante o trabalho de parto. Só em 2015, cerca de 80% das mulheres que tiveram seus filhos na unidade utilizaram esses recursos terapêuticos, que envolvem desde massagens, banhos quentes, aromaterapia, entre outros.
 
Dentre os programas existentes no HMMABH, merecem destaque o Cegonha Carioca, o Projeto Redinha e o Família Grávida. No Cegonha Carioca – programa pioneiro da Prefeitura do Rio lançado em 2011 – as grávidas que realizam o pré-natal na rede pública municipal são encaminhas às unidades referenciadas, entre elas a Maria Amélia. As futuras mamães fazem visita à unidade antes do momento do parto.
 
Todas as gestantes também têm garantido o direito da presença do acompanhante na maternidade. Tanto a visita do Cegonha Carioca quanto a presença de um acompanhante escolhido pela mulher fazem com que ela se sinta mais segura, mais tranquila. Isso faz diferença quando se fala em assistência humanizada no parto.
 
No caso do Projeto Redinha, a atenção especial é voltada aos bebês prematuros. Pequenas redes de balanço, confeccionadas em flanela e com curvatura que imita o útero materno, são instaladas dentro das incubadoras. Essas redinhas são ferramentas importantes na otimização do tratamento de prematuros. Logo após o posicionamento do bebê na redinha, a incubadora é coberta por uma manta que escurece o ambiente e, consequentemente, desacelera os batimentos cardíacos. A terapia dura entre uma e três horas por dia e é recomenda para recém-nascido com até 2kg e quadro estável.
 
Já o projeto Família Grávida é mais um espaço de discussão multiprofissional voltado para as pacientes da Maria Amélia. Semanalmente, enfermeiros, anestesistas, obstetras, epidemiologistas, nutricionistas e assistentes sociais se reúnem com gestantes e seus familiares para falar sobre os principais assuntos relacionados à gravidez, ao parto e ao puerpério. Os encontros acontecem sempre ás quartas-feiras, às 10h.
 
Participação internacional
 
O Hospital Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda também é destaque no cenário internacional. Recentemente, o diretor médico, Wallace Mendes, esteve em Nairóbi, com uma missão especial: apresentar o Projeto Prepare – Redução de Prematuridade a Partir de Cuidados Pré-eclâmpisa – do qual a maternidade faz parte – para os participantes do Grand Challenges Africa Community Meeting 2016. O evento reúne iniciativas que buscam soluções para problemas de saúde globais, subsidiadas pela Fundação Bill & Melinda Gates. Além do Brasil, Canadá, Índia, Noruega, África do Sul, Reino Unido e Estados Unidos também participam do projeto. 

No ano passado, o trabalho científico Audit and feedback strategy: an experience of a brazilian hospital for reducing episiotomy rate, sobre estratégias de redução da taxa de episiotomia, foi apresentado no XXI Congresso Mundial da Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia, no Canadá, pelo médico Marcos Nakamura.
 
Em 2013 e 2014, a Epidemiologia do HMMABH também apresentou trabalhos em eventos científicos no México e na Espanha, respectivamente. No México, foram expostas representações do aleitamento materno por meio de imagens. Já na Espanha foram apresentados os indicadores da assistência na Maria Amélia, principalmente os relacionados à humanização do parto.

 

MS

Tags: